métricas de chatbot

Conheça 4 métricas para avaliar o sucesso do seu chatbot

Muitas empresas já estão se informando sobre novas maneiras de aprimorar o relacionamento com o cliente e os processos internos, e o uso dos chatbots é uma das tecnologias mais promissoras nesse sentido. Porém, precisamos levar em conta algo importante, em que normalmente só pensamos depois que esse tipo de software já está implementado: as métricas de chatbot.

Esses indicadores são fundamentais para determinar se o chatbot precisa ou não de alterações para melhorar o seu desempenho. Por isso, reunimos no post de hoje 4 métricas que podem ajudar a avaliar o sucesso de um chatbot. Vamos lá!

1. Gatilhos de confusão (confusion triggers)

Os gatilhos de confusão ocorrem quando o chatbot não é capaz de compreender uma requisição e, geralmente, retorna com uma mensagem como “Desculpe, não entendi a sua pergunta”.

Trata-se de uma experiência frustrante para o usuário, que precisa refazer seu pedido ou pergunta. Ele pode, inclusive, abandonar a conversa, já que não obteve uma resposta satisfatória.

Por esse motivo, os gatilhos de confusão são uma das principais métricas de chatbot para acompanhar.

2. Usuários frequentes e frases mais usadas

Ao analisar as conversas de usuários mais frequentes, é possível obter dados mais completos para identificar o que está funcionando bem e o que não está.

Um maior entendimento sobre a forma como os indivíduos mais ativos estão interagindo com o chatbot permite melhorar a experiência do usuário de maneira geral, para que todas as pessoas que venham a conversar com o sistema consigam resolver o que desejam.

3. Taxa de cliques (Click-Through Rate – CTR)

Quanto a esta métrica, é preciso considerar o propósito do chatbot antes de verificá-la.

Avaliar o número de cliques pode ser interessante se a função do chatbot for enviar atualizações de conteúdo com links para o seu blog, por exemplo.

Contudo, se o objetivo for oferecer um serviço de atendimento automatizado, em que o cliente só precisa escrever o que deseja para que o sistema retorne com uma solução, uma alta taxa de cliques pode ser um mau sinal. Nesse caso, um alto CTR pode significar que as pessoas não estão conseguindo respostas e estão procurando por elas onde não deveriam.

4. Número de passos da conversa

Sempre que um usuário faz uma solicitação a um chatbot e ele responde, consideramos essa interação como um passo. Sendo assim, o número de passos da conversa nos ajuda a mensurar como está a eficácia do chatbot em completar tarefas.

Novamente, é preciso ter em mente que a análise dessa métrica varia conforme a finalidade do chatbot. Se a intenção for manter as pessoas engajadas e conversando, um número elevado de passos é um bom sinal. Agora, se a ideia for fornecer suporte ao cliente, o ideal é que o software consiga solucionar os problemas com o menor número de passos possível.

E aí, o que você achou deste artigo? Percebeu como as métricas do chatbot são essenciais para avaliarmos seu sucesso e bom funcionamento? Então continue por dentro das novidades do mercado de chatbots! Assine a nossa newsletter e receba por e-mail mais conteúdos como este.

 

Leia mais:

Chatbots e a experiência do consumidor

Por que os chatbots ficaram tão famosos?

O que os processos de vendas ensinam sobre chatbots

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação