mobile_commerce_dicas_etc

5 dicas para iniciar o mobile commerce

Adotar o mobile commerce nos dias atuais parece algo óbvio. Afinal de contas, a maioria esmagadora da população economicamente ativa utiliza celulares e smartphones no seu dia a dia. Mas se o canal é favorável e vasto, entrar nesse mercado merece atenção e deve ter um planejamento de marketing envolvente, funcional e que esteja alinhado com o perfil do cliente.

Leia as nossas dicas de hoje e descubra como planejar as estratégias do seu mobile commerce e elevar a experiência do cliente para outro patamar!

1. Crie um fluxo de vendas simples

Do ponto de vista do cliente, comprar por meio de seu smartphone significa mobilidade. Ele pode comprar um produto a caminho do seu trabalho, na fila de espera do consultório, na sala de embarque do aeroporto, etc.

Por isso, para que essa experiência seja funcional, criar um fluxo de vendas simples e rápido, com mensagens curtas, objetivas, botões de comando grandes e linguagem simples permite que ele consiga fechar a compra sem dificuldades.

2. Personalize o conteúdo do mobile commerce

Use todas as informações possíveis sobre o cliente, como seu histórico de pesquisa e compra no e-commerce ou loja física da empresa, além dos dados do seu perfil.

Cruze esses dados com informação de outros clientes do mesmo perfil e envie ofertas e informações que realmente serão interessantes para essa fatia do seu público.

Uma companhia aérea, por exemplo, pode enviar promoções de passagens para clientes regulares de um determinado trecho com tarifas mais baixas em um voo que esteja com baixa ocupação. Já uma rede de restaurantes pode enviar uma propaganda com fotos do prato mais comprado pelo cliente algumas horas antes do horário do almoço.

3. Alinhe estratégias do m-commerce com outros canais

O mobile commerce não substitui nenhum canal, seja de vendas ou relacionamento com o cliente. Ele deve ser usado para complementar a experiência em outros canais e atender um público que utiliza mais a internet e as redes sociais.

Por isso, as estratégias do m-commerce devem estar conectadas com os demais canais de interação.

Ele pode ser utilizado para divulgar uma nova loja da empresa e também para vender uma linha de produtos exclusiva do canal, mas todos os clientes devem ser informados e convidados a participar da mesma forma.

Em um call center da empresa, por exemplo, o atendimento automático realizado pela URA pode oferecer a opção de envio de mensagem com o direcionamento para a compra do produto ou serviço desejado.

Nesse caso, a experiência do cliente é potencializada porque ele deixa de esperar por um atendimento no call center e consegue gerenciar todo seu processo de compra ou atendimento, literalmente, na palma da mão.

4. Considere as limitações dos dispositivos móveis

Sim, eles estão evoluindo e, muitas vezes, substituindo computadores na vida dos clientes. Mas as telas dos dispositivos móveis costumam ser mais reduzidas, os processadores e memórias se mantêm constantemente em pleno uso e os aparelhos têm acesso limitado à internet.

Ainda é preciso considerar que cada cliente utiliza um tipo de aparelho e com sistemas operacionais diferentes — por isso, criar plataformas responsivas é indispensável.

Diante dessa realidade, é indicado evitar arquivos em Flash, vídeos grandes e outros envios pesados. Isso pode até ser uma estratégia conservadora, mas é eficiente quando a prioridade é se comunicar com o cliente.

5. Conheça todas as funcionalidades de um chatbot para o mobile commerce

É inevitável falar em chatbot quando o assunto é m-commerce, pois o primeiro é a chave para viabilizar o segundo.

Mas além das funções de venda, os chatbots também podem ser aplicados em diversos outros serviços que complementam a experiência do cliente.

Chatbots podem ser configurados para oferecer informações personalizadas para clientes ou assumir a personalidade de alguém famoso para interagir com o público, por exemplo. Mas por que isso é importante para o mobile commerce?

Um banco, por exemplo, pode oferecer informações específicas sobre seguros e aproveitar o diálogo para ofertar seus produtos. Uma grande loja de departamento, por sua vez, pode aproveitar sua garota-propaganda para sugerir produtos da loja.

Então, que tal adotar o mobile commerce em seu negócio? Leia o nosso post sobre o assunto e descubra como ele pode se tornar um diferencial estratégico!

 

Leia mais:

Mobile commerce: 5 motivos que mostram que você precisa investir

M-Commerce: a evolução tecnológica alterando a forma de fazer negócios

Social commerce: 6 dicas para vender pelo Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação