Capa Post desenvolvimento de chatbots

Desenvolvimento de chatbots: saiba como contratar a equipe ideal

Saber escolher o time de desenvolvimento de chatbots pode ser decisivo para o sucesso de uma estratégia envolvendo esse tipo de canal.

Chatbots são uma tendência consolidada hoje, e é esperado que estejam cada vez mais presentes no cenário tecnológico. No entanto, ainda são poucos os desenvolvedores que compreendem o poder dessa tecnologia e como trabalhar com ela.

Se você já está consciente das possibilidades que os chatbots representam para o seu negócio, mas não sabe como começar a utilizá-los, o primeiro passo é escalar uma boa equipe para desenvolvê-los. Neste artigo, você vai aprender tudo que esse time precisa dominar. Confira!

Entender as métricas

Para saber se os chatbots estão trabalhando como deveriam, é necessário medir seu desempenho. E a melhor forma de fazer isso é acompanhando métricas específicas.

Um bom time de desenvolvimento de chatbots precisa ser capaz de implementar mecanismos no software para mensurar dados e, o mais importante, saber o que fazer com eles depois de conquistá-los — não adianta ter métricas apenas para o conhecimento; é preciso utilizar a informação obtida para agregar mais valor ao produto.

Quando se fala em métricas para esse tipo de software, é importante saber que elas são diferentes daquelas que mensuram dados em um website ou aplicativo, por exemplo. As métricas mais importantes para chatbots são:

  • passos necessários para uma conversa completa: quantas perguntas e interações um usuário, em média, precisa fazer para conseguir o que quer;
  • quantidade de gatilhos de confusão ativados: quando um usuário faz um comentário ou pergunta algo que o chatbot não compreende, isso é chamado de confusion trigger, ou gatilho de confusão. Saber quantos gatilhos existem ajuda a aprimorar a estratégia e evoluir a sua programação;
  • usuários ativos x engajamento: é a comparação entre o número de usuários que iniciou um diálogo com uma interface dessas e quantos desses, além de lerem, responderam ao chatbot;
  • conversões: quantos usuários conseguiram realizar uma ação demandada ou uma compra com base no sistema;
  • retenção: a mensuração de quantos usuários voltam a conversar com o chatbot depois da primeira interação. Se ela é baixa, ou o programa só resolve um serviço ou ele está mal construído.

Com base nessas métricas, é possível saber o que está funcionando e o que pode ficar melhor em um chatbot, orientando seu desenvolvimento de forma positiva e contínua.

Compreender o valor da experiência do usuário

A experiência do usuário precisa ser formatada de uma forma ainda mais cuidadosa em uma interface que não é visual, como é o caso dos chatbots.

Enquanto em um app a parte gráfica abre um leque de possibilidades de UX, com esse canal de mensagens tudo que se tem são interações em diálogo. Logo, a construção de como essas conversas se desenvolverão é o cerne da experiência de usuário em chatbots.

Um time de desenvolvimento que se proponha a criar esses softwares precisa, antes de tudo, valorizar a importância da experiência do usuário para construir um bom chatbot.

Em segundo lugar, é preciso saber como estabelecer essa experiência de forma coerente e eficaz, utilizando apenas a interface de texto, sem recursos visuais. Esse é um desafio que nem todos são capazes de vencer.

Estar por dentro das tendências dos chatbots

Os chatbots estão em evolução constante e veloz. Para conseguir desenvolvê-los, é preciso se atualizar em relação às tendências que envolvem essa tecnologia. Antes de tudo, é importante entender aquelas que fazem do momento atual o ideal para os chatbots.

Apesar de já serem imensos na China, onde existem negócios que criam esse canal de mensagens antes mesmo de desenvolver um website, só agora eles começaram a mostrar força no ocidente. E esse processo se deve, essencialmente, a quatro tendências:

A primeira delas é a fadiga em relação aos aplicativos. As pessoas estão cansadas de precisarem instalar, atualizar e desinstalar aplicativos o tempo todo. A curva de aprendizado de uma nova interface também é desmotivadora, e mesmo já tendo dominado a cena mobile, os apps estão perdendo relevância.

A segunda é o apoio de gigantes aos chatbots, como Facebook e Microsoft, que estão abrindo espaço para essa tecnologia em suas plataformas.

A terceira é a popularização imensa de serviços de mensagem de texto, como o WhatsApp e o Facebook Messenger.

Por fim, vem a redução de custos de desenvolvimento. Está cada vez mais viável economicamente criar e lançar chatbots, o que faz com que eles fiquem mais interessantes ao olhar de empreendedores e empresas de pequeno e médio porte.

Saber trabalhar para os objetivos do cliente 

Mesmo que a equipe atenda a todos os quesitos técnicos para ser efetiva no desenvolvimento de chatbots, de nada adianta se ela não for capaz de compreender e expressar os objetivos do cliente com essa solução.

Ao escolher um time para executar uma tarefa de desenvolvimento, seja ele formado por colaboradores internos ou parceiros contratados, é preciso assegurar que esses profissionais consigam se comunicar com clareza e entender os objetivos do negócio.

Parece algo simples, mas muitas equipes de tecnologia falham nisso e não conseguem executar seu trabalho de forma harmoniosa com o cliente, o que pode gerar resultados insatisfatórios.

É muito importante que o time escolhido para o desenvolvimento de um chatbot entenda bem como ele está inserido na estratégia do contratante e quais são os objetivos envolvidos. Com isso, essa equipe será capaz de melhorar seu rendimento trabalhando em prol do cliente. 

Ter experiência com desenvolvimento de chatbots

Para aumentar as chances de um bom resultado, sempre busque colaboradores que já tenham desenvolvido chatbots, mesmo que não tenha sido em um projeto comercial.

Como esses softwares ainda são relativamente novos, são raras as referências da área no Brasil. Muita gente ainda está começando e aprendendo a dar seus primeiros passos nessa nova tecnologia. Porém, mesmo sendo poucos os veteranos em desenvolvimento de chatbots, vale a pena procurá-los, pois essa expertise os tornará a opção mais segura de contratação.

Agora que você já sabe como conseguir o melhor time para o desenvolvimento de chatbots, que tal conversar com a Take, especializada nessa tecnologia e com vasta experiência na área? Aguardamos seu contato!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação