espírito de startup capa post

Qual é o segredo das empresas com espírito de startup?

“Fulano tem 40 anos. mas parece ter 20. Como ele consegue?”

Já ouviu alguém falar assim? Você pode ser adulto ou até idoso e ter um espírito jovem — e essa também é uma realidade no mundo corporativo.

A Take já debutou há algum tempo e, mesmo assim, consegue manter-se com o frescor de uma empresa recém-nascida, com um espírito de startup. Mas o que essas organizações, que parecem beber formol, possuem em comum? Falando como alguém que está no dia a dia da empresa e enxerga essas características, é isso que vou explicar neste post!

Empresas com espírito de startup permanecem enxutas

“É difícil desenvolver coisas novas em organizações grandes”, já dizia Peter Thiel e muitas outras pessoas que sofrem com hierarquias burocráticas. As empresas que possuem um espírito de startup usam a tecnologia para facilitar a vida, otimizar o tempo e agilizar os processos. Por isso, conseguem se manter enxutas.

Estruturas burocráticas engessam um mindset inovador. Você pode ser grande, mas não precisa burocratizar para ser feliz! Na Take, por exemplo, pensamos sempre em como fazer muito com pouco.

São flexíveis e ágeis

A flexibilidade é necessária para nos adaptarmos à velocidade em que o mundo gira! Para criar, desenvolver e lançar produtos no mercado, é importante utilizar metodologias ágeis, flexíveis e objetivas. É o famoso “Vai lá e faz…. rápido sem perder qualidade”.

Na Take, as coisas acontecem em uma velocidade absurda! Você entra, é super bem acolhido e quando vê, já está tocando projetos e chamando responsabilidades para si — e o melhor de tudo: nada é para sempre! As coisas podem mudar e isso faz parte do espírito da empresa; todos já estão preparados.

Concentram nos produtos

Eric Ries entende que o espírito de startup considera o desenvolvimento de produtos novos e inovadores sempre com o foco na interação rápida e percepção do consumidor.

Tá achando que é fácil? “Rapadura é doce, mas não é mole não!” Teve uma ideia incrível, inovadora, que ninguém jamais fez? Ótimo! Mas já pensou se isso resolve a dor de alguém? Se é útil de verdade?

Faço essa provocação porque construir seu MVP (Minimum Viable Product) e não validá-lo é um tiro no pé! As organizações que possuem um espírito de startup mantêm o foco em construir um produto que seja útil para seus clientes. Essa sempre foi a “bola da vez” na Take: foco na experiência do usuário! Tudo sempre passa pela pergunta: “Você resolveu a dor do cliente”? Não? Então vamos fazer de novo!

Uma organização pode ter 2 ou 20 anos sem perder seu espírito de startup! A idade não define a essência de um time; apenas mostra se todos estão dispostos a terem o melhor produto para seus clientes, reagirem rápido frente às mudanças do mercado, fazerem muito com pouco e não perderem o foco no essencial!

Isso é o que vivemos na Take! E você, quer trazer o espírito de startup para a sua empresa? Que tal começar entendo um pouco mais sobre o mercado em que atuamos? Confira nosso post sobre as mudanças no comportamento do consumidor e mãos à obra!

 


Patricia Ribeiro post espírito de startup
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn

Patrícia Ribeiro

Analista de Negócios

LinkedIn

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia mais:

Chatbot para Recursos Humanos: possibilidades e benefícios

Tecnologia e comunicação interna: integre as áreas da sua empresa

Como otimizar a gestão de pessoas com ferramentas digitais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Navegação