marcos importantes para os chatbots 2017 capa post

2017: como foi o ano para os chatbots?

2017 foi intenso. Tão intenso que poderia fazer parte de um roteiro de algum filme de ficção científica ou até mesmo fantasia. Afinal, durante esse ano tivemos a primeira robô cidadã, vimos um robô dar um salto ‘mortal’ e até mesmo pessoas imortalizadas num formato de um chatbot. Embora muita gente acredite que estamos vivendo numa era futurista, nada disso seria possível se não fosse o passado.

 

post marcos importantes para os chatbots
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • LinkedIn
“It’s all about connecting the dots.” — Steve Jobs

 

Já que estamos em um momento de transição (2017 → 2018), chegou a hora de olhar para trás e refletir sobre alguns acontecimentos do ano, principalmente aqueles que impactaram o meio da tecnologia e dos chatbots. Por conta disso, resolvemos listar 17 + 1 acontecimentos que nos chamaram a atenção em 2017 — alguns destes podem, inclusive, servir como reflexões ou benchmarks para um futuro cada vez mais invisível (e conversacional).

Antes de mais nada, vale uma introdução a quem ainda não conhece os chatbots. Esses softwares de comunicação automatizada funcionam dentro dos principais apps de mensagem, como Messenger, Telegram, Skype e outros, e estão revolucionando a comunicação entre pessoas e empresas como conhecemos. Você pode saber mais sobre eles neste post.

17 + 1 marcos importantes para os chatbots em 2017

Para facilitar a leitura, resolvemos deixar as datas de lado e dividimos esses fatos em 6 categorias:

  • Atualizações de plataformas existentes
  • Cases que inspiraram o mundo
  • Eventos que movimentaram o mercado (nacional)
  • Lançamentos que contribuíram com a indústria
  • Mercado cresceu, junto com as oportunidades
  • Opiniões que nos fizeram refletir 

Atualizações de plataformas existentes ⚙

Diante das várias atualizações que aconteceram ao longo do ano, as que mais nos marcaram foram as lançadas durante o Facebook F8, em abril — uma vez que vimos tudo de perto.

1. O Facebook Messenger mudou bastante em 2017
É óbvio que, para ter sucesso, todo produto precisa evoluir com o tempo e feedbacks. Ao longo desse ano, a plataforma do Messenger desenvolveu novas funcionalidades que mudaram a forma como as pessoas encontram, desenvolvem e principalmente, interagem com os bots. Além de deixarem um kit de design público, uma das melhores atualizações foi incorporar o uso de webviews nas conversas — que não demorou muito para aparecer os primeiros cases de sucesso, como é o caso da Swelly (o primeiro app que foi substituído por um bot).

2. WhatsApp deu seus primeiros passos em direção a uma conversa automatizada
Um lançamento simples, mas que aqueceu o mercado brasileiro. Isso em formato de anúncios ou até mesmo notificações que as empresas podem enviar para as pessoas. Além disso, também começamos a ver algumas contas verificadas e casos usos do WhatsApp for Business aqui no Brasil — o Banco Itaú foi uma das empresas selecionadas a participar dessa fase beta.

3. A IBM facilita a identificação de intenções com os slots
Embora pareça um pouco mais complicado, a intenção foi boa. Basicamente, ficou mais fácil criar intenções e associar entidades. Afinal, podemos pedir uma xícara de café de diversas formas e a atualização permite lidar com cada uma dessas formas. Em paralelo, api.ai (que agora se chama DialogFlow) disponibilizou novos meios de melhorar a criação e retenção de conversas com as chamadas small talks. Mesmo que isso soe técnico, queria dizer que isso é apenas um lado da moeda, pois ainda precisamos criar um conteúdo para o bot, portanto, o futuro das interfaces conversacionais e inteligência artificial estão nas mãos dos contadores de histórias.

Cases que inspiraram o Brasil e o Mundo 🌎

Tivemos inúmeros cases que foram inspiradores em todos os lugares do mundo, inclusive algumas pessoas deixaram várias ideias disponíveis para serem desenvolvidas. Afinal, ideias são apenas ideias… o que muda mesmo é a execução:

4. Bahianinho (Casas Bahia) foi reconhecido como um case de Marketing Mundial

Não foi destaque apenas por ter sido uma das primeiras ações de bot para a Black Friday aqui no Brasil, mas foi devido à sua alta taxa de cliques em ofertas (77%) e ticket médio acima de 50% em relação a outros bots no mundo — e  foi desenvolvido pela  Take. Confira o case completo neste infográfico.

5. Amigo Anônimo (Amigo Anônimo) recebeu um Cannes

Em uma ação inédita, o grupo dos Alcoólicos Anônimos conseguiu aumentar a procura por grupos do AA em 1.300% através de um chatbot no Messenger.

6. Roque (Rock In Rio) foi reconhecido como uma melhores ações de marketing do Brasil

Em parceria com a OutraCoisa, a Take desenvolveu um bot para interagir e engajar com fãs em um dos maiores festivais de música do mundo. Além de trazer informações sobre o evento e ajudar as pessoas, o bot também contava a história do festival em formato de conversas e missões. Resultando em mais de 2 milhões de mensagens, o bot teve uma taxa de engajamento três vezes superior ao app do evento.

Eventos que movimentaram o mercado (nacional) 🇧🇷  

Não só de cases vive o mercado, mas também de pessoas. 2017 foi um ótimo ano para interagir com várias pessoas em diversos eventos, meetups e conferências relacionadas a bots no Brasil e fora, mas aqui vão alguns que foram importantes para o nosso mercado:

7. Chatbot4 Devs

Realizamos um evento para 400 pessoas aqui em Belo Horizonte. Contamos com líderes e empresas como Take, Google, IBM, Gartner, Heroes e Swelly para falar sobre como os chatbots estão chegando e as oportunidades que eles trazem consigo. Em destaque, tivemos a presença de Peter Buch, CEO da Swelly e Emanuelle Capparelli, CEO da Heroes, para dividir suas experiências com o mercado de bot global.

8. Bots Experience Day

A Mobile Time conseguiu reunir diversos líderes e diretores C-level de várias grandes empresas do mercado nacional. Também estivemos presentes nas duas edições do evento com o nosso CEO, Roberto Oliveira: primeiro, falando sobre as oportunidades para os bots no mercado nacional (falo mais logo em breve) e depois falando sobre métricas.

9. Conferência Bots Brasil

O que antes começou como alguns meetups e um grupo do Facebook, evoluiu para uma Conferência e impactou mais 200 pessoas. Dentre as pessoas que palestraram, houve pessoas da Take, Amazon, IBM, PagSeguro, Itaú, Nama, Porto Seguro, InBot e contamos com a participação especial do autor Joe Toscano para falar sobre o seu livro Designing Intelligence.

Quem sabe em 2018 a gente consegue participar das edições da Chatbot Conf (em Vienna) ou Chatbot Summit (em alguma cidade do mundo) ou da The Chatbot Conference?

Lançamentos que contribuíram com a indústria 🚀

Aquelas pequenas sacadas que estavam ali o tempo todo, mas demoraram um tempinho antes de virem ao mercado — e agora que chegaram, precisamos ajudar as pessoas e empresas a adotarem experiências:

10. Apple e Twitter lançaram suas respectivas plataformas para criação de chatbots

O mais legal disso tudo foi a pesquisa (feita pelo próprio Twitter) que veio junto com todo o lançamento: “as pessoas estão dispostas a pagar US $ 17/mês há mais se elas receberem uma resposta dentro de 4 minutos”.  Indicando que existe a necessidade e o interesse das pessoas e das empresas interagirem de uma forma mais conversacional — algo que um chatbot poderia ser uma mão na roda.

11. Google lança uma plataforma de analytics: Chatbase

Depois de adquirir a api.ai/dialog.flow, lançar o Google Allo, disponibilizar o SDK do Google Assistant para todo o mundo, o Google mais uma vez surpreende com esse lançamento: “A ideia por trás do serviço da nuvem do Chatbase é oferecer ferramentas para analisar e otimizar as chatbots mais facilmente. Isso inclui dar aos construtores de bot a capacidade de entender o que funciona para aumentar a conversão do cliente, melhorar a precisão do bot e criar uma melhor experiência do usuário.” Além disso, para nós, da Take, foi uma surpresa o BLiP ter sido a única plataforma de terceiros citada no artigo — se não conhecia, veja como você pode criar, gerenciar e evoluir seu chatbot no BLiP.

12. Amazon lança o Amazon Echo Show

Mais uma vez a Amazon experimenta uma novidade para reinventar a experiência de comprar. Se antes você se perguntava como seria possível as interfaces conversacionais facilitarem uma compra através de uma conversa, saiba que agora essa interface pode te mostrar o produto com uma tela. Assim, caso queiram, as pessoas podem conferir o produto e finalizar a compra através de uma conversa — mas faltou um pouco de diversidade no seu lançamento.

O mercado cresceu, junto com as oportunidades 🚀

Foram inúmeros cases e novas experiências oferecidas através de chatbots, desde um staff de evento até mesmo alugar um carro. Em 2018, surgiram alguns casos de uso interessante e que aqueceram o mercado:

13. As oportunidades para os bots no mercado nacional

O chatbot ganhará cada vez mais espaço em indústrias sólidas, que juntas movimentam mais de R$ 200 bilhões — os chatbots vão estar presentes em indústrias como SMS, atendimento de voz, apps, advertising, e-commerce e outras. Considerando que, muito em breve, as pessoas vão interagir cada vez mais com as interfaces conversacionais, as empresas que se posicionarem desde cedo vão oferecer melhores experiências, chegando a ter um ROI 30% superior ao mercado.

14. Os ecossistemas Brasileiro e Europeu estão cada vez maiores.

E o movimento de bots pelo mundo não para de crescer. Não sei dizer muita coisa sobre a Europa, mas no Brasil… Percebemos isso através do mapeamento feito recentemente pela Mobile Time: “ao todo, 60 empresas criaram, até agora, cerca de 8 mil bots que trafegam 500 milhões de mensagens por mês.

Opiniões que nos fizeram refletir 🤔

Também existiram aqueles momentos que nos fizeram refletir sobre o futuro que estamos ajudando a construir e sobre as infinitas possibilidades que essas novas tecnologias nos trazem:

15. A inteligência artificial precisa aprender com o mundo real

A área de Inteligência Artificial cresceu muito nos últimos anos e várias empresas acreditam que elas vão se fazer cada vez mais presentes em nosso dia a dia. Seja avisando sobre o horário de sair de casa para não se atrasar num compromisso, até mesmo avisando você das coisas que você mais gosta:não basta criar um computador inteligente, é preciso ensinar a ele as coisas certas. No entanto, precisamos refletir cada vez mais sobre a adoção desse tipo de tecnologia em nossas vidas e como isso vai se fazer presente num futuro cada vez mais próximo.

16. Precisamos falar de Acessibilidade nos Chatbots

Você já se perguntou sobre o que acontece quando uma pessoa cega tenta usar o seu chatbot? Pois é… isso quase passou batido em 2017. No entanto, depois de realizar uma pesquisa sobre carros autônomos e ficar impressionado com as novas experiências que esses carros nos trazem, resolvi fazer um pequeno teste de acessibilidade nos chatbots — o mais legal de ter compartilhado esse relato foi receber esse feedback com um depoimento incrível. Sim, eu sei: os chatbots falham. Mas precisamos aprender com os erros para saber como acertar no futuro #FailFast.

17. Como as interfaces de linguagem natural podem resolver problemas de fluxo de trabalho

Amir nos fez refletir sobre o que muita gente tem falado em relação aos chatbots empoderados por Inteligência Artificial, mas muita gente esquece do mais importante: a experiência. Portanto, existem diversas maneiras de se desenvolver uma boa conversa, inclusive a boa experiência nem precisa ser tão técnica assim: conteúdo, botões e menus tornam os bots mais produtivos.

 

17+1. O ecossistema brasileiro de bots está crescendo a todo vapor (2.147% em 2017)

É com muito orgulho que a gente diz que o mercado brasileiro está crescendo e isso se deve, principalmente, às pessoas e empresas que fazem parte desse ecossistema — seja incentivando, participando ou apenas acompanhando o grupo.

Acredito que em 2018 vamos ver mais bots transacionais, bots em eventos (inspirados no Roque / Rock In Rio) e mais empresas entrando nessa onda de chatbots.

Todo mundo sai ganhando quando cada vez mais pessoas são envolvidas e passam a compartilhar suas ideias.  Espero que 2018 seja repleto dessas trocas para você.

 

Além dos marcos importantes para os chatbots, quais foram os acontecimentos / notícias que marcaram o seu 2017?

 


Caio Calado

UX Designer

LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This